Equipe de Endemias reforça conscientização da população no combate ao Aedes Aegypti

Quarta, 20 de Dezembro de 2017

Saúde

 

Com o verão chegando, os riscos envolvendo de transmissão da dengue, zika e chikungunya  são maiores. Por isso a Prefeitura de Itambé, por meio da Secretaria Municipal de Saúde e do Programa de Combate a Endemias, tem intensificado a conscientização dos moradores para o combate ao mosquito transmissor, o Aedes Aegypti.

 

De acordo com a coordenadora do Programa de Combate a Endemias do município, Patrícia Rodrigues, no verão as chances de proliferação do inseto é ainda maior devido à grande incidência de chuvas. “Por isso é muito importante o papel da população no combate ao ciclo de procriação do mosquito, ou seja, é preciso ficar atento aos locais ou objetos que possam acumular água”, alertou.

 

Ainda conforme a coordenadora, embora os riscos maiores sejam nesta época, o trabalho de prevenção e combate é realizado no município durante todo ano através de mutirões; campanhas de conscientização em emissora de rádio e redes sociais; palestras em escolas e outras instituições; e vistorias em residências, que são realizadas periodicamente pelos agentes de endemias.

           

 

Cuidados

 

Algumas medidas simples evitam a proliferação do mosquito como: realizar o armazenamento e destinação adequada do lixo; não descartar lixo ou qualquer outro material que possa acumular água no quintal de casa, na rua ou em terrenos; manter a caixa d água sempre limpa e totalmente tampada; manter as calhas livres de entupimentos para evitar represamento de água nas mesmas; manter limpos e escovados os bebedouros de animais domésticos e trocar a água diariamente;  manter piscinas sempre limpas e devidamente tratadas.

 

 

Sobre as doenças

 

As doenças são transmitidas no ser humano por meio da picada do mosquito com o vírus. Os sintomas se manifestam normalmente do 3º ao 15º dia, período conhecido como incubação. Já o tempo médio de duração da doença é de cinco a seis dias. Nos casos mais graves ela se evolui como hemorrágica e a síndrome de choque, caracterizadas por sangramento e queda de pressão arterial.

 

 

Sintomas

 

Os sintomas das doenças variam. Os mais comuns são da forma clássica: febre alta com início súbito, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, perda do apetite, náuseas e vômitos, tonturas, extremo cansaço, manchas na pele semelhantes ao sarampo, principalmente no tórax e membros superiores, moleza e dor nos ossos e articulações.

 No caso da hemorrágica, os sintomas no início são os mesmos da clássica. Contudo, eles se agravam quando passa o período de febre. O paciente manifesta dores abdominais fortes e contínuas, vômitos persistentes, pele pálida, fria e úmida, sangramento pelo nariz, boca e gengivas, sonolência, agitação e confusão mental, sede excessiva e boca seca, dificuldade respiratória e perda de consciência.

 


ASCOM/PMI


Últimas Notícias